62 3324-2440 | 9-92830145

62 9-92830145

Praça das Mães, 14, Centro. Anápolis GO (Dentro da Clínica Cemed)

Enxaqueca

Categorias: Dicas de saúde e notícias, Neurologia

O que é a enxaqueca?

Enxaqueca ou Migrânea é o segundo tipo de dor de cabeça mais frequente no mundo afetando entre 12 16% da população. É a terceira doença mais comum e mais incapacitante no mundo (Global Burden of Disease Study 2015). É 2 a 3x mais comum em homens que em mulheres e geralmente tem início na adolescência ou no início da idade adulta. A enxaqueca é uma doença neurológica específica e pode ser classificada como episódica ou crônica, com ou sem aura, entre outros subtipos.

Quais os principais sintomas da enxaqueca?

Dores de cabeça moderadas a muito intensas que se parecem com um coração pulsando na região frontal ou lateral da cabeça, geralmente associadas a um desconforto à luz, aos ruídos e eventualmente aos odores, além de náuseas e vômitos. As dores geralmente podem piorar com os movimentos da cabeça ou com os esforços físicos, podendo tornar-se insuportáveis.

Qual é a causa da enxaqueca?

A causa da enxaqueca ainda não é totalmente conhecida. Estudos populacionais identificaram ao menos 38 variações genéticas, conhecidas como polimorfismos, em indivíduos com esta condição. Há um maior risco de filhos e irmãos de pacientes com enxaqueca também desenvolverem esta condição. Entretanto o mecanismo genético ainda não pôde ser estabelecido.

O que pode provocar ou piorar as crises de enxaqueca?

Os fatores desencadeantes são múltiplos e frequentemente específicos para cada pessoa. Os mais comuns são:

Ficar muito tempo sem comer (jejum prolongado).

Dormir pouco.

Estresse emocional.

Consumo de bebidas alcoólicas, sobretudo o vinho tinto.

Alimentos gordurosos, condimentados, frutas cítricas, derivados do leite, chocolate, café em excesso, temperos com glutamato (Aji-no-moto), entre outros.

Fatores hormonais, tais como o período perimenstrual, uso de anticoncepcionais e reposição hormonal.

Uso abusivo de analgésicos.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico é feito após cuidadosa anamnese (entrevista médica) e exame físico neurológico. Muitas vezes o diagnóstico pode ser feito clinicamente, ou seja, sem a necessidade de exames complementares. Outras vezes, seu neurologista pode identificar a necessidade da realização de exames de imagem do cérebro ou exames laboratoriais para afastar outras doenças que mimetizam a enxaqueca. Somente o seu médico pode definir o diagnóstico e o tratamento mais adequado para o seu tipo específico de dor de cabeça.

Como é o tratamento da enxaqueca?

É dividido em Tratamento das Crises e Tratamento Preventivo.

O tratamento das crises se baseia em medidas não medicamentosas como o repouso em ambientes com pouca luz e poucos ruídos, compressão do local da dor usando bolsas de água ou gelo e hidratação. Em crises moderadas a severas pode também ser necessário o uso de analgésicos, anti-inflamatórios e medicações específicas contra a enxaqueca. Somente o seu médico pode determinar qual a medicação mais adequada, segura e a maneira individualizada de uso.

O tratamento preventivo se baseia no ajuste de fatores modificáveis do estilo de vida, tais como alteração da dieta, melhor controle do sono e do estresse emocional, realização de atividade física regular, evitar o uso de cafeína em excesso, reduzir ou interromper o uso de analgésicos, entre outras. Pode ser necessário o uso de medicamentos chamados profiláticos. Estes, são escolhidos pelo seu médico, de acordo com diversos fatores, tais como a presença de outras doenças crônicas, alterações do humor, predisposição à perda ou ganho de peso, entre outras. Para sua segurança e para maior probabilidade de sucesso, o tratamento deve ser supervisionado pelo seu médico em intervalos regulares e mantido pelo período determinado. A duração e a dosagem devem ser sempre indicadas e individualizadas pelo seu médico.

Dor de cabeça tem solução. Procure seu neurologista. Ele é o profissional mais indicado para te ajudar.

 

Nossos Serviços